Guti veta projeto milionário do Prof. Jesus (PSB) para novos cargos, mas câmara derruba veto!

Guti veta projeto milionário do Prof. Jesus (PSB) para novos cargos, mas câmara derruba veto!

A Câmara rejeitou o veto do Prefeito Guti (PSB) que barrava a proposta do presidente da Casa, Professor Jesus (PSB), para abrir 75 novos cargos a R$ 7,6 milhões.

O projeto original do vereador Professor Jesus (DEM) previa um gasto de R$ 10 milhões. No dia 6 de junho, a Câmara informou que havia aprovado um substitutivo (Substitutivo nº 01), que reduzia o gasto ‘em algo próximo de 2 milhões de reais por ano’.

Rejeição do veto foi apoiada por 28 parlamentares durante a Sessão Ordinária desta terça-feira (18)

Vereadores da Câmara de Guarulhos optaram pela rejeição do veto total do prefeito Guti ao PL 1500/2019, que define valores dos vencimentos base dos cargos que compõem a estrutura administrativa e organizacional do Legislativo. Foram 28 votos a favor da derrubada do veto durante a Sessão Ordinária desta terça-feira (18).

O projeto em questão, de autoria da Mesa da Câmara, possibilita um plano de carreira e acesso aos servidores de cargos efetivos.

Dr. Eduardo Carneiro (PSB), líder da base governista, foi um dos vereadores que encaminhou a derrubada do veto. Ele afirmou que defende a harmonia e independência dos Poderes, além de salientar que é natural ter pensamentos diversos na democracia. “A relação institucional entre a Câmara e o Executivo continua da mesma forma”, afirmou.

Sobre a criação de cargos, Jesus explicou que existe essa necessidade porque muitos servidores se aposentaram e outros estão em processo. “Não há cargos comissionados. Vale ressaltar que são cargos de preenchimento por meio de concurso público”, disse o presidente.

Os vereadores Laércio Sandes (DEM) e Edmilson Souza (PT) também utilizaram a tribuna para encaminhar o voto contrário ao veto e sustentaram tratar-se de matéria de competência exclusiva do Poder Legislativo, não cabendo ao prefeito a interferência. Eles desqualificaram os argumentos do veto, sobretudo porque o ordenador de despesas é o presidente da Câmara e não o Poder Executivo.

  • Alzeni

    Alzeni

    18 de junho de 2019

    Esse professor Jesus ta sendo uma vergonha pra Guarulhos, perdi meu voto, não atende em nada as necessidades da população, ta deslumbrado com o poder

Fazer um comentário
Comentário
Nome
E-mail